sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Aparelho autônomo de Respiração...
Eu sigo em frente bem devagar
Um mundo lindo e inesplorável abaixo de mim
Flutuo silenciosamente
E o som da minha respiração quebra o silêncio
Acima de mim nada além da luz trêmula
Que é do lugar de onde eu vim
E é pra lá que voltarei depois
Estou mergulhando
Eu sou uma mergulhadora
Vou mas fundo e vejo pedras rugosas e algas escuras
Na imensidão azul um cardume de peixes prateados aguarda
Enquanto estou nadando bolhas saem de mim
E sobem oscilando como se fossem águas-vivas
Verifico o oxigênio
Não tenho o tempo que precisava para apreciar tudo
Mais é isso que torna a experiência Especial. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário